Publicações

29 de abril de 2019

A Administração do Passivo Bancário e Reestruturação de Dívidas.


Por Roney Carlos Becker[1]
 
Em tempo de crise e instabilidade econômica, a busca de recursos perante às instituições bancárias, pode parecer, a priori, a salvação dos problemas de caixa do empresário, quando em verdade, e não é raro de se ver, acaba se transformando, em questão de poucos meses, no maior vilão financeiro, bastando para isso um mero deslize, uma pequena inadimplência, ato este suficiente para despertar a insaciável sede das instituições financeiras por lucro.
Por mais assustadora que possa parecer a voracidade dos ‘Bancos’, sua aparição é cada vez mais frequente, e muitas vezes estremece os alicerces da empresa, entretanto, é possível combate-lo, de igual para igual, desde que exista um suporte técnico eficaz e preparado, capaz de revelar as fraquezas do ‘inimigo’.
Nesta linha, é indispensável buscar instrumentos adequados e profissionais capacitados, para avaliar a dimensão da dívida, e então encontrar mecanismos para administrar o passivo bancário e obter meios de reestruturação financeira.
O trabalho de administração e reestruturação do passivo consiste na análise das operações, contratos e débitos bancários, com mapeamento da situação e identificação do perfil e riscos das dívidas, com prestação do auxílio necessário na definição e adoção das estratégias de resolução segundo interesses do cliente.
Busca-se, portanto, a elaboração planos para gestão dos riscos inerentes a execuções e cobranças das dívidas bancárias em geral, envolvendo contratos de mútuo, cédulas bancárias, cédulas rurais, comerciais e industriais, alienação fiduciária de imóveis ou bens móveis, cobranças, com definição de propositura de ações, defesas e recursos inerentes ao procedimento revisional e/ou executório.
Por meio do acompanhamento e assessoria, é perfeitamente possível obter junto as instituições financeiras a renegociação de débitos, com a intervenção necessária e auxilio na análise das propostas e planos de pagamentos oferecidos, atendendo os anseios do empresário, satisfazendo à instituição bancária e viabilizando a continuidade da atividade empresarial.
Desta forma, com o diagnóstico prévio e preciso da situação, a administração do passivo visa trazer ao empresário o tempo necessário para reorganizar a casa e colocar as contas em dia, evitando o desgaste da empresa, em razão da diminuição do fluxo de caixa (pagamento de juros) ou da perca de bens (móveis e imóveis), em virtude das garantias contratuais.

 
[1] Advogado. Especialista em Direito Ambiental. Pós-graduado em Direito Aplicado pela Escola da Magistratura do Estado do Paraná. Sócio da Frizzo e Feriato Advocacia Empresarial.

COMPARTILHE COM UM AMIGO!